sábado, 19 de março de 2011

Claudia Leitte no Rock In Rio.


Quando penso que já vi de tudo nesta vida louca, sempre acontece algo que me deixa sem entender o que não tem explicação.
Rock In Rio lembra o que? Pagode? Axé? Lixo?
Não, lógico que é um evento de rock, aliás já foi.
Em 1991 o Lobão querendo inovar, levou a bateria da Mangueira para o palco e quase foi executado por objetos jogados no palco, só que ele iria tocar rock com uma bateria de samba.
Agora uma falsa baiana tocar axé com rótulo de mpb que ultimamente tem sido uma merda, ah aí tá valendo!
Acho um absurdo um ssimo exemplo como a Claudia Leitte representar alguma referência ao nosso país, mas infelizmente ela com seus "macacos" bem treinados serão capazes de roubar a cena.
E tem gente que fala mal do Lobão pra defender Ivete Sangalo.
Brasil, mostra a sua cara!

4 comentários:

Amanda Pinto disse...

Pop in Rio.
Lembro quando o Carlinhos Brown foi atacado por garrafas de água mineral na última edição do evento no Brasil.
Primeiro foi essa execução do Rock in Rio in Lisboa... Deveria ser Rock in Tejo, mas tudo bem... agora são essas apresentações "super do mal" logo na abertura...
Não vão existir tendas alternativas na arena pra justamente promover a diversidade musical num evento dedicado ao rock?? Então pra quê desperdiçar o show magno, digamos assim, com artistas que nem ao menos estilo rock'n'roll tem?? Rihanna, a tal da Katy Perry, Claudia Coalhada?? Se não fossem os shows do Metallica e do RHCP eu diria que esse festival ia ser uma farsa. Todo dia é carnaval na Bahia, todos os fins de semana existem apresentações de bandas de pagode... Pelo amor de Deus vamos setorizar esse negócio!!!!
Abraço.

Ricardo Lopes disse...

É verdade Amanda!
Interessante é que a galera do bom rock não sobe em trios elétricos.
Beijos.

Amanda Pinto disse...

Se somente shows em arenas, estádios e afins já fazem a galera surtar e se matar punkeando, imagina correndo atrás de um trio. Seria homicídio em massa! ahuaiahaiuhiau

Ricardo Lopes disse...

É verdade!
Seria elétrico demais!